AV-A

Próximo lançamento ‘Airoa’ de Alexandre Villalba!!!

Alexandre Villalba é um dos nossos artistas favoritos e esta de volta!!!

Participou na compilação de estreia desta editora (Língua Nativa – Língua Nativa, 2014) com a música “Sin elección” e também no single A Orquestra Filarmónica de Osaka (Remixes) no 2015.

Agora, o produtor esta de volta com um LP de instrumentais intitulado “Airoa”, no que mistura sons de eletrónica num corta e cola de samples de músicas tradicionais galegas. 

Este álbum também tem conteúdo de mitología galega em temas como “Baixo cruzeiros”, baseado na lenda dos meninos que nasciam mortos sem receber baptismo e a igreja não dava conta deles. Então os familiares enterravam o meninos e construíam cruzeiros onde pelas noites punham velas e rezavam.

Alexandre Villalba para este trabalho contou com a participação da cantora viguêsa Mónica de Nut nas músicas “Sem pesares” e “Mentres todo arde”.

 

 

MLV lofi

‘Trens cara ao sul’ (videoclipe). Brevemente!!!

Malvares de Moscoso e J.CNNR continuam dar imagem às músicas do seu último trabalho “N.O./Trens cara ao sul”.

Se há pouco pudémos assistir à estreia do videoclipe “N.O.” desenvolvido num ambiente de escuridão em que apenas se vislumbrava o rosto de Malvares a calvagar no ritmo do trap, nesta ocasião, “Trens cara ao sul” surge como a antítese do seu antecessor: fundo de claridade absoluta, junto à figura do “diabo” de Robert Johnson (interpretado por Cándido de Verso Libre), sobre uma sonoridade mais positiva e revolucionaria às portas de “Zion”.

O videoclip foi dirigido por Alberto Lora de Néboa Films.

 

Defski ReB

Entrevista a Defski no Rimas e Batidas.

«Defski editou um novo EP pela Língua Nativa. O produtor esteve à conversa com o Rimas e Batidas e revelou vários detalhes importantes na sua caminhada até chegar a O Dadaísta de Gabú.

O produtor franco-portugês fez parte do grupo Factor Activo entre 1991 e 2006 e agora, a solo, tem aproveitado toda a experiência que adquiriu, traduzindo-a em novos trabalhos. Também conta com criações dedicadas às artes performativas, para as quais contribuiu com várias paisagens sonoras, e ganhou destaque na americana 8Dio, onde assinou algumas das texturas presentes nos bancos de sons “Free Radicals” e “Free Angels” para o software Kontakt. Continuar a ler